Os hábitos de leitura fazem bem à saude

Pois é verdade. Os bons leitores são recompensados.
Quinta-feira passada estive a trocar umas impressões literárias com um fiel leitor destas páginas, combinámos uma conversinha pelo Skype e saiu o seguinte:

[24/07/2014 23:51:56] Leitor X: ola. boa noite
[24/07/2014 23:53:48] Teresa Costa: Olá, viva. Cinco minutinhos para despachar umas coisas
[24/07/2014 23:54:06] Leitor X: ui ui…que vais tu despachar a esta hora?
[24/07/2014 23:54:16] Teresa Costa: Vê lá se não vais arranjar chatices com a patroa!
[24/07/2014 23:54:31] Leitor X: espero que nao…lolol…assim tb da mais pica….lol
[24/07/2014 23:54:50] Teresa Costa: Então cinco minutinhos…
[24/07/2014 23:54:59] Leitor X: esta a contar
[24/07/2014 23:58:27] Teresa Costa: Prontes, cá estou
[24/07/2014 23:58:38] Leitor X: despachadinha a menina…
[24/07/2014 23:59:38] Teresa Costa: Eu expilico: xixi, ligar o portátil (que talvez venha a dar jeito) e mandar SMS ao Pedro a dizer que já estás online
[25/07/2014 00:00:06] Leitor X: u iu i…..tu adoras informa-lo….llol
[25/07/2014 00:00:26] Leitor X: e ele poelos vistos adora ser informado
[25/07/2014 00:00:35] Teresa Costa: Já vamos ser tres a fazer os trabalhios manuais…
[25/07/2014 00:00:55] Leitor X: amanha vou estar com a M……….vou pica-la….
[25/07/2014 00:01:00] Teresa Costa: agora é contigo…
[25/07/2014 00:01:25] Leitor X: e o desafio que te lancei??? o trio…. que achaste?
[25/07/2014 00:01:58] Teresa Costa: Pois… a verdae é que não quero morrer estúpida, mas não me parece muito viável a curto prazo
[25/07/2014 00:02:15] Leitor X: nao me digas que nunca fizeste….
[25/07/2014 00:03:02] Teresa Costa: Pois não. Não está nada sobre isso no blog, ora não? O que lá está pode ser um bocado enfeitado, mas é basicamente verdadeiro
[25/07/2014 00:03:11] Teresa Costa: Tu já?
[25/07/2014 00:03:20] Leitor X: já……….
[25/07/2014 00:03:46] Teresa Costa: MMf ou mFF?
[25/07/2014 00:03:56] Leitor X: foi muito bom pela tesão que a coisa toda dá……
[25/07/2014 00:03:58] Leitor X: mFF
[25/07/2014 00:04:18] Leitor X: depois na hora quer-se dar atenção a toda a gente e nao se consegue…. lololl
[25/07/2014 00:05:35] Teresa Costa: Pois deve ser. a mim parece-me mais natural o MMF. Sempre há um centro muito claro das atenções. Mas não. Andamos a falar disso há um ror de tempo mas não nos resolvemos
[25/07/2014 00:06:12] Teresa Costa: Já com um pré-Pedro foi a mesma coisa. Estivemos quase mas cortámo-nos
[25/07/2014 00:06:26] Leitor X: lol….. é muito bom, mas nao é coisa paa se fazer muito regularmente
[25/07/2014 00:06:35] Leitor X: tiveste medo de nao aguentar?
[25/07/2014 00:07:01] Teresa Costa: Mais o depois. E a escolha do terceiro não é nada evidente
[25/07/2014 00:07:49] Leitor X: pois….tem que ser com algum citério……. lolol
[25/07/2014 00:08:25] Teresa Costa: e agora?
[25/07/2014 00:08:32] Teresa Costa: De que vamos falar?
[25/07/2014 00:08:58] Leitor X: pode ser da ultima vez que foste enrabada???
[25/07/2014 00:09:04] Teresa Costa: Posso contar-te o que temos pensado para dar um avanço nesse impasse
[25/07/2014 00:09:16] Leitor X: conta…conta….
[25/07/2014 00:10:11] Teresa Costa: Para começar, tenho a comunicar-te que estou vestidinha como quando cheguei a casa. Em tua honra nem os sapatos tirei
[25/07/2014 00:10:28] Leitor X: ui ui ….sapatinho de tacao?
[25/07/2014 00:10:45] Leitor X: e como tas tu vestidinha?
[25/07/2014 00:10:56] Teresa Costa: Por outro lado não tenho nada de especial vesstido… Não. há que ser honesta. Sandálias rasas
[25/07/2014 00:11:20] Teresa Costa: Saia pelo joelho, t-shirt decotada ma non troppo
[25/07/2014 00:11:31] Teresa Costa: Muito direitinha.
[25/07/2014 00:11:54] Teresa Costa: Eu no dia a dia sou muito direitinha. Se calhar é por isso que gosto disto
[25/07/2014 00:12:03] Leitor X: lol…………sabes que muitas vezes o recheio é qu efaz a embalagem….
[25/07/2014 00:12:15] Teresa Costa: brigados
[25/07/2014 00:12:18] Leitor X: e por baixo da saia?
[25/07/2014 00:12:55] Teresa Costa: pronto, aí, está melhorzinho. Cuecas fininhas, brancas, quase fio dental
[25/07/2014 00:13:05] Leitor X: u iui ui….
[25/07/2014 00:13:12] Leitor X: (y)
[25/07/2014 00:13:25] Teresa Costa: soutien a condizer
[25/07/2014 00:13:35] Teresa Costa: e tu?
[25/07/2014 00:13:52] Leitor X: normalissimo…calças d eganga e camisa clarinha
[25/07/2014 00:13:56] Leitor X: e boxers
[25/07/2014 00:14:56] Leitor X: e hoje ja tiveste direito a morangos? ou ainda tas a seco?
[25/07/2014 00:15:29] Teresa Costa: Hoje, ainda nadica de nada. Só sábado. O Pedro anda por fora esta semana
[25/07/2014 00:15:40] Leitor X: ohh tadinha….
[25/07/2014 00:16:09] Teresa Costa: Bem, então temos mais ou menos combinado uma sessão de massagens
[25/07/2014 00:16:12] Leitor X: e a saia ainda está pelo joelho u ja a subiste?
[25/07/2014 00:16:44] Teresa Costa: A saia já era. A t-shirt também
[25/07/2014 00:17:11] Teresa Costa: O resto ainda ficou.
[25/07/2014 00:17:38] Leitor X: ja foi tudo???? assim de repente….e os sapatos?
[25/07/2014 00:18:00] Teresa Costa: Ficaram. Queres que os deixe?
[25/07/2014 00:18:26] Leitor X: aprendi com uma pessoa que as p… nunca tiram os sapatos…..
[25/07/2014 00:18:32] Leitor X: tu decides….
[25/07/2014 00:19:04] Teresa Costa: agora eu ficava ofendida e ia deitar-me, a seco
[25/07/2014 00:19:47] Leitor X: tu é que sabes….
[25/07/2014 00:20:36] Leitor X: mas como acho que tas a pensar mais numa bela f…. do que em deitart-te…… acho que vais focar
[25/07/2014 00:20:39] Leitor X: ficar
[25/07/2014 00:20:44] Teresa Costa: Ou então respondia que de facto hoje estou numa de ser putinha. Estava a deixar-te suar…
[25/07/2014 00:21:33] Teresa Costa: Boa resposta. De prémio vou deixar-te mais um minuto à espera e vou calcar as minhas sandálias dos casamentos
[25/07/2014 00:22:02] Leitor X: hummmmm….como são? salto alto? daquelas que empinam o rabiote?
[25/07/2014 00:22:36] Teresa Costa: Sim, sem exagero, que eu tenho pouco treino. 7 cm
[25/07/2014 00:23:07] Leitor X: pouco treino? nao aguentvas uma fodinha em cima delas?
[25/07/2014 00:23:54] Teresa Costa: Claro que sim. Falta de treino a andar na rua
[25/07/2014 00:24:04] Leitor X: ahhhh
[25/07/2014 00:24:30] Leitor X: uma perguntinha….coninha depiladinha?
[25/07/2014 00:24:49] Teresa Costa: Sim. de fresco
[25/07/2014 00:25:21] Leitor X: hummmmm
[25/07/2014 00:25:23] Teresa Costa: E a espreitar pelos lados da cueca
[25/07/2014 00:25:46] Leitor X: prontinha pra umas trinquinhas??
[25/07/2014 00:26:12] Teresa Costa: Então queres que te conte a cena que imagino a 3?
[25/07/2014 00:26:22] Leitor X: sim….
[25/07/2014 00:26:29] Teresa Costa: Ou queres fazer mais perguntas?
[25/07/2014 00:26:53] Leitor X: you drive…..
[25/07/2014 00:27:27] Teresa Costa: Ok. Então excita-me a ideia de contratarmos um gajo para me fazer uma massagem.
[25/07/2014 00:27:52] Leitor X: e depois atiram-se os dois a ele…..
[25/07/2014 00:28:06] Teresa Costa: Mandávamo-lo ir ter a um hotel, ou a um motel.
[25/07/2014 00:28:55] Teresa Costa: Quando ele chegasse eu estava de pé, com uma roupinha sexy
[25/07/2014 00:29:03] Leitor X: hummmm
[25/07/2014 00:30:03] Teresa Costa: O Pedro tomava o controlo de tudo. Falava com ele como se eu não estivesse a ouvir. Dizia-lhe o que me podia e o que não me podia fazer.
[25/07/2014 00:31:17] Teresa Costa: Podia mexer-me em toda a parte e usar instrumentos à vontade mas não me podia enfiar a pila
[25/07/2014 00:31:40] Leitor X: coitado do pobre…..
[25/07/2014 00:32:24] Teresa Costa: há empregos muito duros… Mas que se me fizesse vir mais de três vezes se podia esporrar nas minhas mamas
[25/07/2014 00:32:56] Leitor X: 3 vezes com língua e maos……. é para homens…
[25/07/2014 00:33:08] Teresa Costa: e vibrador….
[25/07/2014 00:33:14] Leitor X: lol..
[25/07/2014 00:33:49] Leitor X: na semana passada estive com uma amiga minha, pediu-me para lhe esporrar na barriga….nunca me tinha pedido….adorou
[25/07/2014 00:34:53] Teresa Costa: Eu gosto. Os homens não têm consciência disso, mas é mesmo muito quentinho. Mas ainda gosto mais nas mamas
[25/07/2014 00:35:07] Leitor X: eu n tinha essa noção….
[25/07/2014 00:35:38] Teresa Costa: Depois o Pedro sentava-se num cadeira e mandava-me despir a frente delesr
[25/07/2014 00:35:57] Leitor X: dassss…… já esta crescido aqui o menino….
[25/07/2014 00:36:23] Teresa Costa: Dizia para ficar de meias e sapatos, porque as putas tal e coisa
[25/07/2014 00:36:52] Leitor X: meias de liga a sapato….é mesmo a pedir pila…….
[25/07/2014 00:36:59] Teresa Costa: vou tirar o soutien
[25/07/2014 00:37:14] Leitor X: tas c os mamilos duros?
[25/07/2014 00:37:22] Teresa Costa: a ficar
[25/07/2014 00:37:44] Leitor X: e a coninha continua a espreitar? ou ja desviaste a cueca?
[25/07/2014 00:38:15] Teresa Costa: espreita. O dedo já lá anda, enquanto espera por ti
[25/07/2014 00:38:40] Leitor X: lol…eu nao ia la de dedo….. lol
[25/07/2014 00:39:07] Teresa Costa: olha que não sabes o que perdias
[25/07/2014 00:39:29] Leitor X: a lingua sente muito melhor……e saboreia….
[25/07/2014 00:39:52] Leitor X: adoro cair de queixos…..
[25/07/2014 00:40:07] Teresa Costa: Depois o massagista começava por me esfregar as costas, depois o cu, depois as coxas
[25/07/2014 00:40:35] Teresa Costa: ia subindo até me abrir toda
[25/07/2014 00:41:20] Leitor X: ui ui ui…tou aqui tou a oferecer-me…..dasss……
[25/07/2014 00:41:25] Teresa Costa: e me fazer vir a primeira vez com um dedo no cu e os outros na cona
[25/07/2014 00:42:01] Teresa Costa: Depois o Pedro mandava-me virar de costas e ele passava para as mamas
[25/07/2014 00:42:22] Leitor X: hummmm
[25/07/2014 00:42:57] Teresa Costa: Se estivesse a ser muito contido mandava-o apertar-me bem os bicos
[25/07/2014 00:43:14] Leitor X: com a mao ou com a boca?
[25/07/2014 00:44:52] Teresa Costa: Com os dedos. Deixava-o ficar assim até eu me começar a agitar outra vez e nessa altura o Pedro mandava-me abrir bem as pernas para ele me enfiar o nosso vibrador mais grosso
[25/07/2014 00:45:39] Leitor X: e o fino enfiado no massagista??? hummmm
[25/07/2014 00:45:55] Teresa Costa: Entretanto tinha-se despido e dito ao gajo que também se podia despir
[25/07/2014 00:46:34] Leitor X: ja o tirei para fora…..
[25/07/2014 00:47:01] Teresa Costa: Vê se o tratas com jeitinho…
[25/07/2014 00:47:31] Leitor X: umas vezes com jeitinho..outras a bruta
[25/07/2014 00:48:06] Teresa Costa: Eu também já estou a ficar encharcada.
[25/07/2014 00:48:26] Leitor X: prontinha pra uma lingua?
[25/07/2014 00:48:43] Teresa Costa: Buscar toalha para a cadeira, e uma coisa que te digo depois se me pedires muito
[25/07/2014 00:49:05] Leitor X: diz……
[25/07/2014 00:49:10] Leitor X: diz…..
[25/07/2014 00:49:13] Leitor X: diz….
[25/07/2014 00:49:27] Teresa Costa: muito é a partir de quatro
[25/07/2014 00:50:27] Leitor X: diz…
[25/07/2014 00:50:28] Leitor X: dizzz
[25/07/2014 00:50:33] Leitor X: DIZZZZ
[25/07/2014 00:50:45] Leitor X: DIZZZZZZZZ…………
[25/07/2014 00:50:51] Teresa Costa: Fui buscar umas molinhas para os bicos.
[25/07/2014 00:51:13] Leitor X: u iui…..
[25/07/2014 00:51:26] Leitor X: para imaginares q sao os meus dentes..?
[25/07/2014 00:51:27] Teresa Costa: Já as pus e já estou nua. Gostei de me ver no espelho do quarto, nua e de sapatos
[25/07/2014 00:51:44] Leitor X: e a coninha brilhante d ahumidade?
[25/07/2014 00:51:53] Teresa Costa: clçaro
[25/07/2014 00:52:14] Teresa Costa: estou a começar a escrever mal. é bm sinal
[25/07/2014 00:52:36] Leitor X: tas a perder o controlo……….e pensar em pila?
[25/07/2014 00:53:32] Teresa Costa: Sim. Apetecia-me uma boa piça a entra-me pella boca dentro enquanto eu mexo no grelo
[25/07/2014 00:53:54] Leitor X: uiui……
[25/07/2014 00:54:12] Leitor X: eu prferia dar-te piça na boca e mexer-te eu nesse grelo quentinho
[25/07/2014 00:54:18] Leitor X: e molhado
[25/07/2014 00:54:32] Teresa Costa: Gosto de me vir assim, ao mesmo tempo que levo com o leite no fundo da boca
[25/07/2014 00:54:50] Leitor X: gostas do sabor??? de englir?
[25/07/2014 00:55:27] Teresa Costa: Sim, gosto de engolir… mas também gosto de o deixar escorrer pelo queixo
[25/07/2014 00:55:55] Teresa Costa: vou parar um bocadinho senão não acabo a fantasia
[25/07/2014 00:56:12] Leitor X: parar??? porque? nao esta a ser bom? lolol
[25/07/2014 00:56:46] Teresa Costa: Chama-se fazer render o peixe… E ter uma cena completa para o Pedro ler amanhã
[25/07/2014 00:57:39] Leitor X: mas dizia eu que gostava de te dar na boca enquant d emexia no grelo……
[25/07/2014 00:58:08] Leitor X: e quando estivesses no ponto…..fodia-te com a boca—-chupava-te o grelinho todo……
[25/07/2014 00:58:29] Leitor X: enquanto olhava para ti para ver os teus olhos…..
[25/07/2014 00:58:44] Teresa Costa: Para acabar o P. mandava-me por de gatas e ele voltava aà primeira cena, o polegar no cu e os otros dedos na cona enquanto eu mamava o P
[25/07/2014 00:59:54] Teresa Costa: E de certeza que nessa altura me dava umas boas palmadas no cu
[25/07/2014 01:00:07] Leitor X: nao aguentavas mais que o polegar no cu?
[25/07/2014 01:00:23] Teresa Costa: Depois de eu me vir a teceira vez vinham-se eles, ao mesmo tempo, um em cima de cfada mama
[25/07/2014 01:00:52] Leitor X: ctg a bater-lhes uma? ou vinham-se por eles?
[25/07/2014 01:01:30] Teresa Costa: Não sei. Já não sei.. E agora vou-me vir eu…
[25/07/2014 01:02:07] Leitor X: ja?
[25/07/2014 01:02:12] Leitor X: tas a meter os dedos?
[25/07/2014 01:02:36] Leitor X: anda la…… vem-te toda para miim…….
[25/07/2014 01:02:47] Teresa Costa: si
[25/07/2014 01:02:58] Leitor X: imagina que tens esta pila dura e gossa ai dentro……
[25/07/2014 01:03:12] Leitor X: a foder-te toda….devagar mas intensamente
[25/07/2014 01:04:07] Teresa Costa: Estava a meter os dedos, estava a imaginar, e vim-me muito bem…
[25/07/2014 01:04:23] Teresa Costa: Não consigo à escrever enquanto…
[25/07/2014 01:04:39] Leitor X: precisar um escrivao para escrever enquanto te vens
[25/07/2014 01:05:14] Leitor X: tb tou a tocar-me……..
[25/07/2014 01:05:21] Teresa Costa: E tu, anda lá, vou ficar a imaginar o esguicho
[25/07/2014 01:05:21] Leitor X: para ti………..
[25/07/2014 01:05:59] Teresa Costa: a aterrar na teta e a escorrer para o pescoço
[25/07/2014 01:06:05] Leitor X: hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm………………..vim-me todo……tanto leite
[25/07/2014 01:06:16] Leitor X: hummmm
[25/07/2014 01:06:38] Leitor X: esta prontinha para te lambuzares como leite a escorrer….
[25/07/2014 01:07:05] Teresa Costa: E limpá-la toda com a língua…
[25/07/2014 01:07:35] Leitor X: ui ui…adoro isso….
[25/07/2014 01:07:43] Teresa Costa: Estivemos bem…
[25/07/2014 01:08:19] Leitor X: lol….
[25/07/2014 01:08:24] Leitor X: posso enviar cv?
[25/07/2014 01:08:27] Teresa Costa: Posso ter enfeitado um bocado os pormenores, mas acho que aceito mesmo uma experiência como a que te contei.
[25/07/2014 01:08:58] Leitor X: para ti mulher, deve ser optmo estar com dois…
[25/07/2014 01:09:05] Teresa Costa: Se se concretizar eu conto
[25/07/2014 01:09:39] Teresa Costa: Pois, deve ser… como disse, não tenciono morrer estúpida
[25/07/2014 01:09:39] Leitor X: vou confessar uma coisa…… a cena que mais me seduziu no blog foi a cena do strap on………
[25/07/2014 01:10:02] Leitor X: fiquei curioso/excitado/apreensivo
[25/07/2014 01:10:20] Teresa Costa: Falamos disso noutra altura… Nunca experimentaste?
[25/07/2014 01:10:34] Teresa Costa: Devias…
[25/07/2014 01:10:54] Leitor X: nao…
[25/07/2014 01:11:01] Leitor X: nunca tive nenhum perto…
[25/07/2014 01:11:10] Leitor X: ja acabou o nosso tempo… lolol
[25/07/2014 01:11:25] Teresa Costa: Quando a M. fizer ânus… já tens prenda
[25/07/2014 01:12:08] Leitor X: boa ideia………ela tem um vibrador pequeno……ainda vou experimentra
[25/07/2014 01:14:08] Teresa Costa: Pois… pelo que eu percebo, a parte mais excitante é o ritmo dos movimentos da mulher. E isso só com um verdadeiro. Pelo menos é o que o Pedro diz e o que eu sinto quando vejo disso nos filmes.
[25/07/2014 01:16:14] Leitor X: amanha vou foder a M.
[25/07/2014 01:16:22] Leitor X: e vou pensar nesta conversa….
[25/07/2014 01:16:53] Leitor X: e quem sabe ainda fodo tb a outra … a N.
[25/07/2014 01:17:25] Teresa Costa: Dá-lhe uma boa apetadela no mamilo direito, por mim. à N., no esquerdo

No fim-de-semana, a propósito disto, voltámos, eu e o Pedro. a falar dessa fantasia do terceiro elemento e segunda pila e já houve desenvolvimentos. O Pedro respondeu a um anúncio de um site de malcriadices:

Caro massagista (à falta de nome no anúncio),

Estou a pensar em oferecer à minha mulher uma comemoração erótica de uma data especial, em que introduziríamos pela primeira vez um terceiro elemento nos nossos jogos. A minha mulher tem 40 anos e é bastante aberta em questões de sexo, mas ainda não se resolveu a dar esse passo.

A minha ideia era uma tarde de prazer num motel, em que o terceiro elemento participaria durante uma ou duas horas.

Uma massagem erótica, até ao orgasmo mas sem penetração, seria de certeza aceitável. A penetração teria de ser decidida na altura, embora, desde que haja um mínimo de empatia, a ideia me agrade, e suponho que a ela também.

Gostava que me mandasse uma proposta para uma sessão deste tipo, detalhando os serviços possíveis, as condições, nomeadamente quanto à minha presença, e os preços.
Sugiro, dado que tem experiência destas coisas, que descreva como se poderia passar a sessão, ou como se passou em casos semelhantes.

Essa resposta será lida pela minha mulher, entre outras que estou a pedir a outros massagistas, para escolhermos um candidato.

A sessão teria lugar na segunda quinzena de Agosto.

Cumprimentos

E já há resposta:

Olá Pedro,

 A sua proposta parece-me muito interessante e é sem dúvida uma belíssima prenda: uma tarde de deleite.

Em princípio estarei disponível para esse encontro – se não se importa, prefiro não lhe chamar serviço, apesar de ser uma relação estritamente profissional, penso que lhe confere uma frieza que não se compagina com uma ocasião tão especial. Pela sua mensagem, percebi o que se pretende. Sem violência, sem comportamentos desviantes, sem exageros. O que posso oferecer é sobretudo relaxamento e prazer.

Começa com uma massagem erótica de corpo inteiro, com óleos naturais, a fim de relaxar o corpo e pôr a sua esposa descontraída e à vontade. Espero também que se crie essa empatia que fale, mas se forem de facto pessoas abertas relativamente ao sexo, penso que não teremos problemas nesse aspecto, ainda que haja sempre esse risco, essa também é uma das minhas tarefas, já que não estamos propriamente aqui a falar de prostituição pura e dura. É muito mais do que isso, até porque esta não é a minha ocupação principal, faço-o sobretudo porque gosto, porque também a mim dá prazer esta coisa sublime que é dar prazer a uma mulher (espero que isso não seja um transtorno para si…), algo em que me tenho tentado especializar…

A massagem de relaxamento vai evoluindo quase naturalmente para as zonas erógenas e para um toque explicitamente sexual no sentido do orgasmo e do envolvimento integral, com penetração, se for esse o desejo da sua esposa (como normalmente acaba por ser…). O que acontece depois, por norma, acaba também naturalmente por acontecer, sendo que os vossos desejos são uma ordem e ficarei inteiramente à vossa disposição. Digo “à vossa”, porque a mim não me incomoda nada que o Pedro participe, até porque sou bisexual.

Seja como for, o centro da nossa atenção será sempre a sua mulher e será ela a “comandar as operações”. Já fiz várias vezes este tipo de encontro e normalmente corre muito bem. A excepção foi uma ocasião em que o marido percebeu na “hora h” que afinal era ciumento e não era assim tão aberto como pensava… Por norma não utilizo apetrechos, apenas as mãos e o corpo, mas estão perfeitamente à vontade para trazer os vossos brinquedos. O meu preço, por outro lado, inclui os óleos, lubrificante e preservativos. Por duas horas, que não é rígido, não estou a cronometrar e pode alargar-se por mais meia-hora ou uma hora pelo mesmo preço, cobro XXX€, que inclui despesas de deslocação e alimentação.

São estas as minhas condições e fico então a aguardar a vossa decisão,

Saudações Cordiais

E pronto. Estamos mais ou menos decididos. Falta falarmos com ele ao telefone, porque isso da voz e da maneira de falar tem muito que se lhe diga, um encontro do Pedro com ele (comigo na mesa ao lado de gabardina e óculos escuros) e, se ele passar nos testes todos, a 20 de Agosto já não correrei o tal risco de morrer estúpida.

Excita-nos a faceta da submissão. Perturba-me muito a ideia de ter o Pedro a dizer se o outro gajo me pode foder ou não, sem me pedir autorização para nada. Claro que vamos ter um código combinado para o caso de não me estar a sentir bem, mas não deverá ser preciso…

Por hoje, é tudo.

Como sou amiga, ainda vou procurar um filmezinho alusivo.

Podia ser assim…

 

Já fizemos isto (2)

http://xhamster.com/movies/2657786/strapon_adventures.html

Não estava previsto mais nada para hoje, mas um post dos Casal X e Y (que o Zzinho os assista)deu-me vontade…

O post é este:

http://casalxey.blogspot.pt/2014/05/coisas-que-o-x-gosta-2-inversao-de.html

Ide ler, e voltai

Voltastes? Então eu phalo (é a altura de o dizer).

A primeira vez que vi um filme de strap-on fiquei com a certeza de que queria experimentar aquilo. O que me excitou mais foi o movimento, o ondular das ancas enquanto a senhora enrabava o cavalheiro. Depois, no filme ela vinha-se, o que me deixou intrigada, cheia de curiosidade científica. Seria possível? fica já a resposta: é.

Quem me mostrou o filme foi uma amiga, numa noite um bocadito alcoólica. Foi numa altura pré-Pedro, em que andei com meia dúzia (pronto, quatro) mas nenhum com intimidade suficiente para fazer a proposta.

Quando comecei a foder com o Pedro claro que fui explorando o tema: dedo durante o broche, depois a ponta do vibrador pequeno enquanto conversávamos, etc. Um dia fui procura um desses filmes para ver com ele. O Pedro não disse nada e achei que o tinha assustado. Quando nos encontrámos dois ou três dias depois ele trazia um grande embrulho: um conjunto com cinto e três pilas, uma grande, tipo gajo abonadito, uma pequena, tipo ora-porra, e uma torta, tipo entre gajas.

http://www.passionfruit.co.za/strap-on-dildos/411-strap-on-dildos-3-piece-flesh.html

Disse-me que ia preparar-se à casinha e que eu me fosse equipando. Eu pus o cinto com a pila pequena (na caixa – para o prazer anal), umas meiinhas com ligueiro, os sapatinhos mais altos e esperei por ele. Quando ele chegou disse que eu estava fantástica, mas que gostava de me ver com a piça grande. Ajudou-me a prendê-la bem justinha e começou a mexer nela (e em mim) até que ma chupou, sentado na cama comigo de pé. Aquilo estava a deixar-me doida e acabei deitada de costas com ele a fazer-me um verdadeiro broche, com a pila na boca e a mão a bater-me uma espécie de punheta. O roçar do cinto no pito fez-me vir num instante.

A seguir disse-me que era melhor trocar outra vez e pôr a mais fina porque queria que eu o enrabasse depressa e com força. Assim se fez e viemo-nos os dois outra vez, a princípio com ele de gatas na beira da cama e eu de pé nos meus sapatos de senhora, para acabar com ele deitado de bruços e eu deitada em cima dele a fodê-lo com toda a força. Enfim, lençóis todos para lavar…

Não é coisa que façamos muito frequentemente, por razões variadas, mas quando fazemos, normalmente numa cena mais ou menos preparada, é sempre bom.

Ainda não conseguimos foi meter a pila grande até ao fim. Costuma ser a grande para brincar e a pequena para foder. Os homens, quando se tratar de levar no cu, são uns mariquinhas.

Primeira voltinha por fora na era pós Pedro – capítulo 1: A Preparação

Primeiro vou ralhar.
Ontem houve cinquenta marmanjos(as) a visitar-me e nem um a deixar uma palavrinha (ou um palavrão)! Nem nos comentários nem no meu mail (teresa74@outlook.pt)! Shame on you!

Então depois de combinar com o Chamemos-lhe Nuno que nos íamos encontrar na tarde seguinte, em hora e local a confirmar, fui ter com o Pedro a casa dele.
Dei com o rapaz na cama, nuzinho à minha espera. Tirei a camisa e a saia (tinha ido de mamas à solta) e deitei-me ainda de cuecas – já vão ver o que a minha cabecinha perversa estava a preparar.
Vou tentar reproduzir o essencial da conversa que tivemos:

Pedro: – Então parece que a conversa correu bem. Estás com as cuecas todas molhadas. Rapidinha?
Eu: – Não, rapidinha coisa nenhuma. Mas correu muito bem. Vamos foder amanhã à tarde.
P.: – E estás encharcada só com a ideia?
Eu: – Isso e o dedo do Nuno na cona no parque de estacionamento. Agora continua tu. Mete-me dois dedos mas não me faças vir até te contar tudo. Bem, depois do então como tem corrido a vida disse-lhe ao que ia, que andava com um tipo fixe, que estávamos os dois com vontade de alargar horizontes, se ele ainda estava disponível. Ele disse que para mim sempre e perguntou se isso queria dizer que tu sabias que eu estava ali. Acho que ficou com medo de que entrasses e lhe quisesses bater… Eu disse que sim, e que te iria contar tudo o que se viesse a passar, e que estavas tão excitado como eu com a ideia. Perguntei-lhe se isso não o incomodava, eu estar a usá-lo, e ele disse logo que não, que podia usar e abusar. Nessa altura eu tive uma ideia, depois conto-te. Já te disse que não me quero vir já. Se não te portas bem não te conto mais nada.
P.: – Sorry, sorry. Assim?
Eu: – Isso. Então o Nuno propôs que fôssemos tratar logo do assunto, para casa dele, mas eu dei uma desculpa e disse que não podia demorar, que ficava para amanhã. Ficámos de nos falar à hora do almoço para combinar ao certo. Eu disse que tinha de ir andando e ele levou-me ao carro. Eu deixei-o sentar um bocadinho, ainda ficámos a conversar, ele perguntou-me se seria possível fazermos uma cena a três, eu disse que ninguém diga aquilo da água, e entretanto a mãozinha dele já ia pela saia acima, a outra pelo decote abaixo, e eu resolvi dar uns minutinhos, um grande linguado, abrir as pernas e deixá-lo meter o dedo por dentro da cueca. Depois senti que se continuasse não ia querer parar e mandei-o embora a protestar. Agora faz-me vir.

O Pedro não se quis vir a seguir a mim e conversámos mais um bocado. Combinámos que nessa noite eu ia dormir a minha casa e só falava com ele no dia seguinte ao jantar. Ainda me perguntou qual era a tal ideia, mas eu não lha contei. Disse-lhe que queria que me dissesse uma coisa particular para eu fazer com o Nuno, para o deixar a pensar nisso. Eu já lhe tinha contado as tais fodas anteriores e ele já sabia que o Nuno é um rapaz muito aprumado com a linguagem, nunca diz malcriadices, de modo que ele quis que eu o obrigasse a usar palavrões. Eu prometi-lhe que o fazia dizer que eu era uma grande puta, o Pedro disse que isso era uma grande verdade, uma badalhoca e uma fodilhona, virou-me de costas e deu-me uma bela foda por trás.

E pronto, gosto de pormenores mas levam muito tempo. Mas digo-vos a tal ideia, agora que já sei como correu. Era dizer ao Nuno que para equilibrar o usado/usador lhe prometia deixar que fosse ele a usar-me, uma vez. Que quando quisesse, me podia chamar para o que lhe apetecesse, fosse o que fosse.

Agora é que é pronto. Amanhã talvez haja mais.

Back in business

A vida, como diria o MEC sobre o amor, é muito aborrecida.
Pois não é que um tsunami informático me levou tudinho, incluindo as passwords que não me dei ao trabalho de escrever em papel? Ontem tive um clarão interior e lembrei-me do raio da PW daqui. So far, so google.

Vamos então a coisas sérias.
Primeiro: hoje não há filme. Temos pena mas numa excursão ao xhamster apanhei um ameaço do terrível vírus da PJ. Enquanto não ficar descansada não ponho mais lá os pés (os dedos).
Vou tentar com um computador velho e formatável. Se não houver azar, recupero os bons hábitos.

Segundo: houve desenvolvimentos no último assunto que nos ocupou.

Recapitulemos, para quem só agora nos sintonizou. Tenho andado há uns tempos a considerar com o meu parceiro de fodas a extensão das nossas badalhoquices a outros beneficiários. Muita conversa, muito tesão, muitas punhetas, muita hesitação e por altura do tsunami tínhamo-nos resolvido. Eu ia foder com um ex que ainda anda por aí à mão (si j’ôse dire), numa cena preparada e pós-partilhada com o dito PF, o Pedro. Ele iria fazer o mesmo, mas acho que ambos estávamos mais excitados com a minha parte. O racional por trás da coisa é que quem não arrisca não petisca, e achamos que arriscávamos pouco e podíamos petiscar bastante.

Então numa sexta-feira falei ao dito ex (que não é bem um ex, é um tipo com quem tinha dado duas ou três fodas num altura entre exes). É um puto que acho que ainda não tem trinta, com uma bela ferramenta e jeito para a usar. Convidei-o para um café num bar do centro, fui ter com ele depois de jantar com o P. e disse-lhe que tinha gajo mas andava a precisar de um arejo. Que se ele não se importasse com a situação, podíamos combinar uma tarde de cama para o dia seguinte, ou outra altura. Fui honestinha e disse-lhe que o dito gajo sabia da iniciativa e iria saber, eventually, do resultado.
Como seria de espera o chamemos-lhe Nuno não se importou nada, queria até logo naquele momento, mas eu não fui nisso. Disse que tinha de ainda tinha de passar por casa de uns amigos e que no dia seguinte era muito melhor. Levar-me ao carro, cinco minutos de marmelada da boa (mãos pelas pernas acima, dedo por dentro das cuecas, língua até ao esófago, quase que perdia a resolução) e ala ter com o P.

E digo-vos o que disse ao chamemos-lhe Nuno. Agora não posso continuar, o resto fica para amanhã.

Soube-me bem escrever outra vez malcriadices.

Então até amanhã.

What’s new, pussycat? (2) – parte 1

Não escrevo nada de jeito desde quarta-feira… Parece que isto dos blogs é como o resto, a princípio é um entusiasmo, depois… Só que mais depressa.
Estou a ser injusta. O entusiasmo, em relação ao Pedro, não reticenciou. (Além disso ele vai ler isto e se não gostar bate-me. Muito.)
Além disso tenho andado mesmo ocupada e não dá para tirar uma hora por dia para escrever badalhoquices.

Na quarta-feira aconteceram duas coisas: levei uma rica foda, um bocado BDSM, e combinei com o Pedro que íamos meter uma terceira pessoa na nossa vida erótica.
Como a parte da terceira pessoa não correu como previsto, falarei disso mais tarde.

Vamos então à bela foda, um bocado BDSM. Por BDSM não se entende Banda Desenhada SM, Isso é com o confrade do Leituras de BD PoP PorN, a quem gamei isto:

Sweat Tears and Reflections - Página (3)

Na minha vida a.P. já tinha havido umas palmadas (claro!) e mesmo umas coisas um bocado mais encenadas, foder amarrada, mesmo levar com um cinto ou com um chinelo, mas sempre como preliminares, muito pre e muito liminares. Já sabia que não é nada que me repugne, até achava graça, mas nunca tinha feito de apanhar (ou dar) o prato forte de uma sessão de cama.

O Pedro teve em tempos uma namorada francamente masoquista e aprendeu muito com ela, instrumentos, reacções típicas, etc. Há que dizer que o que aprendeu com ela foi aplicando nas seguintes, o que o fez chegar a mim um Senhor, passe o trocadalho.

Portanto agora temos, como acho que já disse, dois chicotes, uma corrente para as mamas, dois pares de algemas, além dos improvisados: cintos, colher de pau, velas, essas coisas.
Uma das coisas que ele aprendeu, com grande proveito meu, foi que se deve usar um chicote mesmo muito leve, para se poder dar com força. É muito mais excitante para quem dá e para quem leva do que estar sempre a controlar para não magoar ou com medo de ser magoado. Temos um feito em casa de tiras de couro tiradas umas calças estragadas que é fantástico. Eu posso usá-lo com toda a força que não deixa marcas. O Pedro tem de se controlar um bocadinho mais, mas nunca tenho medo a sério. Dói, às vezes dói bastante, mas não fica magoado. Também temos uma chibatinha, fininha e flexível, mas só a usamos como aperitivo.

Então voltemos a quarta-feira.
Durante a tarde recebi um MMS a dizer: chego por volta das onze. Quando estiver quase a chegar dou-te um toque para deixares a porta aberta, pores a venda e as pinças nas mamas e te deitares na cama assim:

Bond

A ideia excitou-me tanto que tive de me vir: mesmo antes de jantar tive de bater uma, que já não aguentava mais.

E agora já não aguento o sono.
Amanhã, ou depois, continuo.
Sorry!

Isto ainda não fizemos (1) Anexo 3

Desculpem lá andar a postar mais texto do Pedro do que meu, mas é a vida.
Pelos vistos ele é a formiga e eu a cigarra…

Mas fica um filmezinho de uma coisa que já fizemos muitas vezes…

http://xhamster.com/movies/1978262/lelu_love_hj_bj_riding_tit_slapping.html

Sexta-feira, 19:30

– Já cheguei! Onde estás?
– Estou aqui no quarto. Entra e fecha a porta. Que tal?
– Estás boa como o milho. Mostra lá o pito. Está impecável. Agora vira-te e deita-te na cama para ver por trás. Está quieta que te vou tirar uns pelinhos que sobraram ao pé do olhinho do cu. Isso. Já está.
– São horas de me vestir. Sempre vou seguir a tua sugestão. Vou levar a saia de couro, uma camisa branca e os sapatos de salto. E olha o que comprei: pretas e completamente transparentes.
– E meias, também levas?
– Levo; não está calor nenhum.
– Espera, vou buscar a máquina para te tirar umas fotografias enquanto te vestes.
– Tens a certeza que não te importas?
– Tenho. Diverte-te e não te esqueças do que combinamos.
– Está bem. Vamos lá a ver…

Sábado, 0:30

– Estou? Olha, é para dizer que vou chegar bastante tarde. É que começamos um trabalho que tem de ficar pronto hoje.
– Que tal, correu tudo bem?
– Está a correr, mas vai demorar.
– Mas já fodeste, ou não?
– Já, e já vamos adiantados, mas o trabalho é grande. Agora já posso falar: já levei uma bela foda e a segunda já está a rolar. Não esperes acordado, só devo chegar de manhã, lá para as 7.
– Certo. Mas acorda-me logo que chegues.
– Claro.

Sábado, 7:15

– Olá. Estás a pé? Mas não ficaste a pé a noite toda?
– Não. Pus o despertador para as seis e meia porque me apetecia ver-te logo que chegasses. Rica noitada…
– Lá isso foi. Nem calculas…
– E como vamos fazer? Queres ir dormir?
– Não. Passou-me o sono. Quero ir contigo para a cama. Mas primeiro quero comer qualquer coisa e tomar banho.
….
– Poça, estás cheio de tesão.
– Pois estou. Então, depois do telefonema, nem sei como consegui adormecer sem bater uma punheta.
– Deixa-me ir um bocadinho para cima de ti enquanto combinamos como fazer.
– Está bem, mas não te mexas muito… Isso. Então?
– Então? Tu é que dizes. Queres que te conte tudo ou queres fazer perguntas?
– Para já quero que saias de cima de mim, senão venho-me num instante. Depois quero que me faças um resumo. Depois vens outra vez para cima de mim e eu faço-te mais perguntas até nos virmos. Depois, logo à noite, contas-me os pormenores mais engraçados.
– Pode ser. E queres que te mexa na pila, ou mexes tu?
– Por agora mexo eu. Tu podes esfregar-te na minha perna enquanto eu te apalpo o cu…
– Por onde queres que comece?
– Pelo princípio, claro. Espera aí! Está-me cá a parecer que apanhaste no cu. Foi?
– Hum hum. Mas afinal quem é que conta, sou eu ou tu?
– Anda lá então!
– Bom, começou como tinhas previsto, só que havia uma surpresa. Quando acabamos de jantar ele perguntou-me se íamos acabar o que tínhamos começado e eu disse que contava com isso. Então, em vez do escritório, ele levou-me para um hotel para os lados de do mar. É claro que foi toda a viagem a apalpar-me as coxas e o pito e quando sentiu que eu me tinha rapado ficou todo excitado e pediu-me para eu tirar as cuecas e lhe mostrar o pito. Eu tirei. e ele foi o resto do caminho a mexer-me no pito e na parte de cima das pernas. Foi super excitante entrar no hotel sem cuecas. Depois no elevador abriu-me dois botões da camisa para me apalpar as mamas e quando entramos no quarto acabou de me tirar a camisa e pós-me de joelhos na cama. A cama tinha um espelho em frente e eu vi-o despir-se e pôr uma camisa de Vénus. Depois agarrou-me por trás e meteu-me a pila. Foi uma foda muito rápida, porque estávamos muito excitados, mas foi boa. Logo que me meteu a pila agarrou-me pelas mamas e quando nos começamos a vir deu-me umas apertadelas muito fortes nos bicos. Depois acabou de me despir –¬ foi só tirar a saia – e deitamo-nos.
– Ficaste com as meias e os sapatos?
– Não, os sapatos já tinha tirado. Mas fiquei sempre com as meias. Acabou por haver uma cena gira com os sapatos, mas fica para depois. Bem, nessa altura começou a apalpar-me toda, principalmente o pito e as coxas e fez-me perguntas: Se eu tinha gostado, etc.
– E tu?
– O quê, o que estava a fazer? Nada de especial, às vezes apalpava-lhe os tomates ou a pila.
– Não, o que disseste?
– A princípio estava um bocado inibida, mas depois ele foi falando e eu acabei por ficar à vontade e fui-lhe dizendo. Por exemplo, estivemos a falar das apertadelas de bicos. Ele gosta de malcriadices e eu fui alinhando. A certa altura perguntou-me o que eu queria para a segunda dose e eu disse que ia pensar enquanto ele me lambesse o pito.
– E ele lambeu?
– E muito bem. Tu sabes que eu gosto muito de ser lambida quando tenho o pito rapado, de maneira que me vim depressa. Lambeu-me toda, incluindo o cu, e quando sentiu que me estava a começar a vir meteu-me um dedo pelo cu acima. Foi nessa altura que achei que era capaz de me apetecer mesmo uma enrabadela. Entretanto telefonei-te. O Paulo tinha ido ao quarto de banho, e quando voltou trazia outro preservativo que pôs na mesa-de-cabeceira.
– E nessa altura já estava outra vez com tesão?
– Estava a começar. Deitou-se ao pé de mim e voltou a mexer-me no pito e a molhar-me as mamas. E voltou a perguntar o que é que eu tinha resolvido.
– E que disseste?
– Já te disse que estava muito excitada e que já tinha estado nas malcriadices. Vou ver se me lembro das palavras exactas. Acho que disse “Vou-te chupar a piça até ficar bem dura. Entretanto vais escolher entre fazeres-me tudo o que te apetecer ás mamas e depois vires-te para cima delas ou virares-te para o meu cu e acabar com uma enrabadela.”.
– Está a ser melhor do que eu pensava… e então?
– Então fui descendo, fiquei um bocadinho a esfregar as mamas na pila dele e depois meti-a na boca. Não demorou nada a entesar mas excitou-me ainda mais. Depois voltei a subi, meti-lhe a pila na cona, em cima dele, e perguntei-lhe como era. Acabamos por resolver pela enrabadela, que era o que me apetecia mais.
– Isso que horas seriam?.
– Umas duas e meia… Mas deixa-me acabar, que já me está a começar a apetecer a tua piça na cona. Deitei-me de cu para o ar e ele começou por me apalpar o cu e as coxas, muito bem apalpados, depois lambeu-me e meteu-me a língua no cu. Quando já estava bem molhada meteu-me um dedo bem fundo e ficou um bocado a enrabar-me com o dedo. A seguir meteu-me outro dedo e aí eu já estava cheia de vontade de apanhar com a piça. Quando eu pensei que me ia meter, ele foi por a camisa e propôs-me uma alternativa. Pediu para eu calçar os sapatos e me apoiar num cadeirão para ele me ir ao cu de pé. Eu achei bem, pus-me como ele disse, e enrabou-me.
– E foi bom?
– Foi, vim-me só de levar no cu, sem mexer no pito. Alias, vim-me duas vezes, porque ele demorou muito tempo. Agora, não conto mais nada. Deixa-me ir para cima de ti.
– Está bem, mete.
– Então vou só contar-te mais uma coisa: sabes porque é que eu quis que me metesses antes de começar a contar? Porque mesmo antes de sairmos do hotel ainda fodemos outra vez e eu vinha a pensar como seria ter duas pilas dentro de mim em menos de uma hora…
-E então?
– Foi giro. Mas a tua é muito melhor…
– E a última, como foi?
– Não quero contar mais nada. Agora quero vir-me assim em cima de ti. Depois vamos dormir um bocado e quando acordarmos vamos combinar para logo à noite. Vou-me por toda para cima e quero umas palmadas nas mamas. Vá, anda, fode-me com força!

Isto ainda não fizemos (1)

http://xhamster.com/movies/2254869/cuckolding_in_a_strip_club.html

Sempre me irritaram aqueles programas de rádio em que estão a entrevistar alguém e nunca lhe dizem o nome, como se toda a gente estivesse obrigatoriamente a ouvir desde o princípio.
Então «isto» é envolver terceiras (ou quartas ou..) pessoas nas nossas fodas, para além dos muitas vezes simpáticos fantasmas do passado.

Ontem, como se estava a adivinhar, demos um passo em frente. Se tudo correr bem este fim-de-semana vou foder com um ex.

Mas, como disse, ando um bocado ocupada com cenas profissionais e familiares, portanto os pormenores ficam para outra altura.
Fica mais uma fatia do primeiro texto do Pedro, que enviarei já a seguir

Isto ainda não fizemos (1) Anexo 2

Hoje não há paleio meu. Estou muito oCUpada. O que vale são os congelados…

– E então, para amanhã, que estás a pensar?
– Em foder. Tens ideias?
– Devo ter. Diz-me, que achas que te apetece mais, uma foda rápida, logo que cheguem, ou uma mais lenta, com mais preparação?
– Não sei bem. Porquê?
– Para começar, por causa da roupa. Seja como for, acho que deves ir vestida sexy. Se for para ser rápido, sugiro uma saia curta, sem soutien e as cuecas mais pequeninas que tiveres; Se for para ser lenta, talvez calças e camisola, mas com um conjunto bem provocante por baixo, soutien e cuecas pretos e meias pela coxa. E podes por exemplo repetir o truque do quarto de banho…
– E tu que achas mais excitante?
– É difícil de dizer. Estás muito excitada com a ideia?
– Estou. Desde que ele me telefonou de manhã que fiquei cheia de tesão. Com a foda propriamente dita e com a ideia de te falar nisto e de te contar depois.
– Então, vais fazer o que eu disser, prometes.
– Está bem, prometo, agora vê lá o que te vais lembrar…
– Tens o dia muito ocupado?
– Nem por isso.
– Então, de manhã vais cortar o cabelo bem curtinho e aproveitas para comprar umas cuecas novas. Compra umas pretas, daquelas que deixam o cu à mostra, mas só se forem bem transparentes à frente. Se não, compra brancas. Depois, lá para as cinco da tarde, tomas banho e rapas o pito.
– Já calculava que ias dizer isso. Acho interessante. E depois?
– Depois esperas por mim. Eu devo chegar lá para as sete e meia. Nessa altura ajudo-te a verificar a rapadela e a escolher a roupa. Mas a ideia base vai ser a mini-saia e a blusa, sem soutien. Depois vemos das meias. Se não estiver muito calor acho que podes levar umas pretas, pela coxa.
– Então achas que vai ser rápido?
– Acho. Se fores assim, ele vai-te apalpar as coxas na viagem e quando chegarem ao sítio vão estar cheios de vontade.
– E quanto às actividades propriamente ditas, tens sugestões?
– Não, também quero ter alguma expectativa. Tenho algumas ideias, mas depois digo-te. E tu, há alguma coisa que estejas a prever?
– Acho que ele me vai dar muita atenção às mamas. De certeza que me vai apertar os bicos. Ele da outra vez apertou-mos bastante e quando eu disse que me estava a magoar ele disse que o avisasse quando estivesse a doer e passado um bocado estava a apertá-los outra vez. Acho que me excita a ideia de foder a cavalo nele e deixá-lo apertar com bastante força quando me estiver a vir. E as tuas ideias, quais são?
– Acho que um quarto de hora depois de chegarem, já deves ter levado uma boa foda. Isso quer dizer que vai haver segunda dose. Achas que ele vai tentar propor alguma coisa mais esquisita, género chupadela, enrabanço, foda nas mamas?
– Não sei, talvez.
– E tu que achas, quanto a ti?
– Chupá-lo até ele se vir, não me parece, e enrabadela também não. Agora uma chupadela, com ele a vir-se nas minhas mamas, já me parece bastante engraçado…
– Pára quieta, que estou quase a vir-me. Tenho duas propostas. A primeira é que me dês uma telefonadela quando levares a primeira foda. A segunda é que tentes surpreendê-lo de uma maneira ou de outra. Por exemplo, se ele for muito atrevido, tu não deixas fazer nada de especial e deixas no ar que talvez para a próxima; se ele for demasiado comedido, provocas uma situação mais excitante, como por exemplo essa da foda nas mamas.
-Está bem. Essa parte do telefone é que não sei se dá.
– Claro que dá. Dizes que é para avisar que chegas mais tarde. Se não puderes dizer nada, ao menos fico a saber que já foste fodida.
– E depois, ficas à espera que eu chegue? E ainda vais querer que te conte?
– Claro que vou querer que me contes. Mas, se na altura não te apetecer, pode ser só muito resumido. Depois de amanhã, vamos nós jantar fora e depois contas-me os pormenores todos. E agora, queres que te faça vir?
– Quero pois.
– Então sai daí que eu vou-te chupar até te vires.
– E tu, sempre não te queres vir…
– Não. Espero por amanhã.